domingo, 1 de setembro de 2013

Deixar Você Ir




Tem sido difícil me acostumar a andar sem pegar na sua mão, sentir suas mãos quentes e delicadas enquanto eu segurava com toda força para que não pudesse deixar você ir... Deixar você ir.

Deixar você ir... ainda ecoa nos lugares mais escuros da minha consciência, alma e coração. Como pude ser tão tolo, burro e azarado. Talvez não tenha sido culpa minha, talvez tenha sido o tempo, a saudade, a distancia, Marte, a guerra fria, talvez eu não tenha tido nenhuma culpa nisso ou talvez a culpa seja toda minha.

Por muito tempo eu me perguntei por quanto tempo dura o amor, você sabe? Quanto tempo dura o amor? E a dor, você sabe? Quanto tempo dura a dor? Quando ela vai parar? Ela vai parar, né?!

Não quero aceitar, mesmo que tenha sido culpa minha ou culpa de Marte, Vênus ou da Lua (Eu disse LUA, só você vai entender e só vai entender se ainda se lembrar. Ahh esquece). O fato é que estou aqui eu, escrevendo outro texto e assumindo não ter mais coragem de te ligar por não saber o que dizer, a voz trava, é difícil saber o que falar depois de perder o grande amor da minha vida.


Espero que você não se importe, sou só um prisioneiro das lembranças e minha sentença é sentir sua falta até o fim, talvez se eu desistir de você a dor pare, mas na verdade eu já desisti e deixei você ir há tempos e mesmo assim a dor continua a me acompanhar.


(Marcos Ferna)


VEJA TAMBÉM