segunda-feira, 20 de junho de 2011

"Carta à você"



Se não sente nada por mim porque se importa com o que eu escrevo, com o que eu sinto?

São só palavras ao vento, palavras ao acaso de um cara que não suporta ver o amor da sua vida passar e nem ao menos poder fazer algo, nem ao menos pode dizer ao seu ouvido que eu penso em você todo santo dia.

As lágrimas caem sem que eu consiga segura-las, escrevo uma carta, mais uma carta que você nunca vai ler, faço desenhos, faço promessas, mas não consigo descrever esse tal sentimento que eu tenho por você.

É o amor com o ódio, a alegria com a tristeza, é querer te ter e querer nunca mais te ver, mas e agora o que resta de nós dois, o que sobrou do nosso amor?

Posso dizer ao mundo que não me importo, posso falar pra Deus para tirar da minha vida, mas o mesmo Deus sabe que meu coração pulsa por você dia e noite e que é uma tristeza ter que acordar e saber que nesse mundo existe você e eu não posso tê-la.

Escrevo e escrevo sem me cansar, só quero desabafar, só quero que você saiba que eu ainda acredito no “amor além da vida”, só quero que você saiba que nada nesse mundo vai cobrir o buraco que você deixou no me coração.


(Marcos Ferna)