sábado, 28 de julho de 2012

As flores que eu não enviei...



O sorriso por lembrar do seu jeito engraçado de falar, os momentos estranhamente românticos, o frio na barriga antes do primeiro beijo, antes de conhecer sua familia, antes de cada vez que eu te via. Tristes não foram os nossos momentos e nem nossas brigas, triste foi ter que ler suas palavras dizendo que você se arrependeu de mim, justo no momento em que eu mais a amei depois de tanto tempo, justo no momento em que eu planejava mil e uma loucuras por você.

Comprei flores, as mais belas rosas vermelhas que existiam, eu queria te mostrar o quanto ainda te amo, eu só queria te mostrar a falta que me faz, mas você mudou, mudou seu sorriso, mudou suas palavras, mudou seu coração e mudou seu endereço. Não sei mais onde você existe no mundo além de dentro dos meus últimos pensamentos antes de dormir.

Procure pelas ruas de São Paulo, talvez você ache algumas flores murchas e um cartão amassado que dizia “eu só queria estar ao seu lado”. Realmente eu não sei lidar com a situação de amar alguém que “não tem mais nada comigo”, eu erro, faço besteira, exagero, mas não deixo de ser eu, assim como você deixou de ser você, assim como o “pra sempre” durou até o dia da mentira!

As flores estão lá, jogadas junto com um cartão amassado e um coração despedaçado...